Pode beijar a noiva.

“Os enlaces familiares de qualquer espécie, desde que pautados na afetividade, estabilidade e ostensividade, estão sob as regras do Direito de Família. Sendo assim, onde houver afeto entre duas pessoas, respeito, solidariedade, comunhão de vida, ética familiar, ostensividade e intenção de constituir família, haverá uma união familiar tutelada pelo direito”.

Essas palavras são do juiz da 1ª Vara da Família de Colatina, Salomão Akhnaton Zoroastro Spencer Elesbon. Foi ele quem autorizou o primeiro casamento civil homoafetivo do Espírito Santo, na cidade de Colatina.

Na tarde de quarta-feira, 26 de setembro de 2012, Ediana Calixto (23 anos) e Kamila Roccon (20 anos) trocaram alianças diante de familiares e amigos.

Para ficarem juntas, além de lutarem na justiça, Ediana e Kamila tiveram problemas com as famílias, já que o casamento não era desejado pela família de Kamila.

Para realizadem o sonho de se casarem, as duas inclusive simularam o fim do namoro para poderem levar adiante a luta judicial e, no fim, o amor venceu o preconceito.

E que essa união seja somente a primeira de muitas!

Fonte: G1 Espírito Santo