Eleições religiosas


Esse ano a Copa foi entediante e as eleições estão me dando nojo. Muita roupa suja lavada e poucas discussões realmente interessantes. A preocupação dos dois candidatos à Presidência é agaranhar o voto dos religiosos de nosso país... a todos custo.

Ontem, dia da padroeira do Brasil, Nossa Senhora de Aparecida, vimos Serra em missa em Aparecida e Dilma se atrapalhando com seu disfarce de católica, com uma performance muito pior que as minhas em uma missa no santuário de Aparecida.

Vejam o vídeo abaixo e reparem a barberagem que ela faz na hora de fazer o sinal da cruz antes da leitura do Evangelho.



O discurso da candidata agora é que ela quer "fazer no segundo turno uma campanha em favor da vida" e que fará uma série de medidas "para fortalecer a família brasileira".

Traduzido para o bom português pelo senador Walter Pinheiro (PT-BA), evangélico: "Vamos deixar claro que, a exemplo do governo Lula, a gestão de Dilma não entrará em assuntos como aborto ou união civil entre homossexuais. Trata-se de temas muito afeitos ao Congresso e a Igreja tem de pressionar os parlamentares para travar essa luta lá dentro".

O mais engraçado é eu ter recebido uma mensagem, antes do 1° turno, informando que essa candidata havia assinado uma carta de compromisso com a ABGLT... (o nome da candidata não se encontra no sítio da Associação como assinante de tal carta).

Serra também entrou na onda do discurso em defesa da vida. Ontem, em Aparecida, começou a entrevista coletiva falando da importância da data (12 de outubro) e que “pensa na criança desde a concepção até a infância” (clara alusão contra o aborto).

Essa candidatura é outra contradição: no dia da Parada de São Paulo defende união homossexual, mas seu vice, Indio "ficha-limpa" disse que irão condenar o Projeto de Lei 122/2006, pois a proposta atenta contra a liberdade de expressão ao prever penas de prisão para manifestações consideradas homofóbicas. Segundo ele, se o projeto virar lei, um dono de restaurante será preso caso impeça um casal gay de fazer sexo em seu estabelecimento (se alguém descobrir onde isso está escrito na PLC 122, por favor, informe-me).

Definitivamente estou pensando seriamente em viajar e curtir o feriado. Justifico o voto e pronto! Mas isso seria totalmente falta de cidadania... Ainda vou analisar um pouco mais se voto em branco/nulo ou em um dos candidatos (somente um deles, pois o outro não voto nem que fosse o único!)

E vamos torcer para que o Brasil vire um país laico, pois essas eleições estão sendo as mais ridículas que já participei, mostrando o como ainda somos regidos pela religião e não pensando em direitos humanos para todos.

3 comentários:

Pólux disse...

Antes de mais nada, ótimo título. Bem, os canditados estão se esquecendo de apenas um detalhe, não cabe a eles a decisão, no máximo podem vetar, mas mesmo assim, não definitivamente.

Dan Rietchün disse...

olha só, cuidado na precipitação de comentários. ela n faz barberagem, ela faz o PELO SINAL DA SANTA CRUZ, LIVRAI-NOS DEUS [NOSSO SENHOR], DOS NOSSO INIMIGOS. E fez corretamente. Melhor não falar se não sabe sobre oq vai falar. =]

Renata J. disse...

Dan, qdo eu fazia caticismo eu fazia um pouco diferente. Era cruz na testa, na boca e no peito. Ela fez a cruz na testa, um simbolo nao identificado na boca e um reta na vertical no peito... Credo! E depois de todo mundo.

Postar um comentário