A Bíblia diz assim?


Reflexão interessante de Carlos Tufvesson sobre o uso literal de passagens da Bíblia. As que os críticos da homossexualidade julgam relevantes, diga-se de passagem.

Julgar um ser humano baseando-se em um livro escrito por homens há milênios é realmente inteligente?

Enquanto as pessoas que usam essas justificativas não virem que a sociedade muda e que os valores também mudam, o fim do preconceito - não somente o contra homossexuais, mas contra as mulheres (a Bíblia é um livro super machista) entre outros - não acabará.

Baseiam-se ainda no Antigo Testamento! Esquecem-se da máxima de Jesus Cristo: "Amar o próximo como a si mesmo".


Para meu espanto, sempre que abordo casamento civil para pessoas do mesmo sexo, deparo-me com aqueles que rebatem citando o livro de Gênesis para dizer que “Deus criou o homem e a mulher”.

Pois estamos inteiramente de acordo! Não acredito na existência de um terceiro sexo! O fato de um homem amar outro homem não o faz menos homem; assim como com uma mulher que ama outra.

Hoje, criou-se fenômeno em que cada pessoa pega um trecho da Bíblia e a interpreta a seu modo, sem o devido preparo. Assim como usam o Livro Sagrado até para coisas mais simplórias, esquecendo o mandamento “não usai o Santo nome em vão”.

Nome esse, aliás, presente em adesivos, camisetas e todo o tipo de produto comercializado por quem esqueceu que Jesus expulsou mercadores do Templo a chicotadas.

Também vejo com maus olhos estudiosos da Bíblia pleitearem sua interpretação ao pé da letra e não de acordo com o período em que foi escrito.

Como justificar, então, que a palavra de Deus exclua da comunhão seus filhos “com deformidades”: Levíticos 21 18 - 21 - “Desse modo, serão excluídos todos aqueles que tiverem uma deformidade: cegos, coxos, mutilados (...) Sendo vítima de uma deformidade, não poderá apresentar-se para oferecer o pão de seu Deus”.

Existe algo de cristão na citação acima? Por isso, cabe ao Magistério das Igrejas a interpretação dos trechos da Bíblia.

Como ativista de direitos humanos, acredito e respeito as regras de cada religião. Creio que cabe a cada cidadão decidir viver dentro delas ou não fazer parte e procurar outra que esteja de acordo com sua vida. Mas, insisto, uma coisa é religião, outra são os assuntos de Estado. Num país com várias religiões não tem como ser diferente.


Fonte: Carlos Tufvesson - O dia On Line

6 comentários:

Títi disse...

Rê.. adorei o post de hoje!
MESMO! de verdade!

:)

Pólux disse...

O argumento é simples, mas o problema esta na má fé dos religiosos.

A Esposa disse...

Re,
gostei do layout! ficou bem melhor!
Então, depois de tudo o que eu vivi e já vi, eu hoje tenho uma teoria que a sexualidade humana acaba sendo um espectro: nas extremidades os homo e heterossexuais exclusivos e no meio ficam as várias nuances...
Se todos nós encarássemos assim, acho que não haveria tantos problemas.
Eu não suporto os fanáticos religiosos, que - como você disse bem - interpretam a bíblia a seu bel prazer...
Ah, e te prepare para os comentários que virão! rsrs
bjo

Renata J. disse...

Imagino sim o que virá por ai e tô preparada! rs
Obrigada pela sempre presença no blog.
Bj

Pensando disse...

Apoiado!!!
As vezes a impressão que tenho é q. a Bíblia tem sido usada conforme manda o freguês. Por isso q defendo em investimentos na educação..talvez assim com uma população mais crítica e esclarecida saibamos dicernir melhos as coisas!

garoto cientista disse...

Olá, adorei o texto, realmente pertinente, as pessoas deveriam utilizar um pouco mais seus neurônios, é simplesmente questão de pensar um pouco. Fiz um post em meu blog com algumas passagens que pesquisei, segue o link. Abraços.
http://ternuraeintimidade.blogspot.com/2010/07/homossexualidade-uma-abominacao.html

Postar um comentário