Homossexualidade no Japão 2 - Lésbicas


Andei pesquisando sobre lésbicas no Japão e encontrei pouquissima coisa...
Liza Dalby, autora de Geisha, escreveu o livro "The tale of Murasaki",sobre a vida e a obra de Murasaki Shikibu, a autora de "A História de Genji", o primeiro romance da literatura universal e a peça mais famosa da literaturado do Japão.
Murasaki Shikibu escreveu um Diário, onde com acuidade fez um registro e análise do monótono cotidiano de uma mulher nobre do período Heian. Sobre esse diário, Liza Dalby tece algumas suposições relativas à homossexualidade no Japão medieval.


Muitos anos depois da era Heian, na sociedade do Japão mediecal depois do crescimento da classe guerreira, a homossexualidade masculina entre os samurais, padres e atores era prevalecente e óbvia. Entretanto, há poucos indicadores claros de como eram essas relações na época de Murasaki. Uma cena em "A História de Genji" é sempre apontada como um indicador de uma certa aceitação blasé. No final da capítulo "The Broom Tree" Genji é rejeitada por lady Utsusemi e então convida seu jovem irmão que trabalha como mensageiro para passar a noite com ela.

[...]

Há pouca evidência para relações homossexuais femininas a não ser as consideradas em poemas de amor. A maioria das escolas no campo da literatura clássica japonesa vê os sentimentos de amor e saudade em tais poemas como metafóricos. No entanto, foram dadas no contexto como sendo uma troca entre um homem e uma mulher, não há dúvida de que a poesia seria considerada para expressar um relacionamento íntimo. [...]

Os poemas de Murasaki para suas amigas são a principal fonte para minha caracterização de seus namoros lésbicos e relacionamento com outras mulheres. Há tambem uma cena de seu diário onde ela retorna ao quarto que ela divide com Lady Saishô e encontrando sua amiga e encontrando sua amiga adormecida, passa a manga de seu kimono em sua face.

[...]

Devido à forma como as mulheres viviam tão próximas no palácio, com relativamente poucos homens, parece ser razoável supor que relações homossexuais entre mulheres ocorriam sem que elas se dessem conta. Também, devido à ausência de qualquer tipo de embargo religioso ou moral contra as relações entre o mesmo sexo, parace para mim muito mais provável. De fato, meu palpite seria de que tais situações eram tão esperadas que não havia necessidade de serem pontuadas.


Fonte: Liza Dalby

Um comentário:

lia disse...

parabens pelo post

Postar um comentário