Projeto que proíbe adoção de crianças por casais homossexuais em votação


Pois é... Mais uma vez na contramão da humanidade, os políticos brasileiros votam um projeto de lei que proíbe a adoção de crianças por casais homossexuais.
O gênio criador de tal insanidade: Deputado Zequinha Marinho, dito educador, cujos interesses são "Jesus, Política e Educação", que tem como música favorita "Qualquer música gospel tradicional que louve Jesus" e como livro preferido "A Bíblia".
Por que as pessoas não aprendem a dissociar política de religião?
Nosso país é laico, mas não temos visto isso ultimamente. Uma leva de políticos religiosos estão na contra mão da história, indo contra muitos avanços conseguidos na área social. Eles querem tirar direitos de quem não se adequa a sua "verdade".

Para quem quiser ler esse projeto (leia-se, insanidade) na íntegra, basta baixá-lo aqui.

Ótimas são as justificativas para o crime cometido pelo Deputado (e candidato!).

1) "Tais '“casais'” por assim dizer -- não constituem uma família,
instituição que pode apenas ser constituída por um homem e uma mulher unidos pelo
matrimônio ou pela estabilidade de sua união"

Mais usa-se como justificativa algo que tem mudado nos últimos anos. A palavra casal não precisa se referir somente a homem e mulher. Se quiser usar outro nome, use, mas continuará sendo uma família.

2) "A adoção por casais homossexuais exporá a criança a sérios
constrangimentos."

Não será a adoção que gerará constrangimentos e sim a sociedade hipócrita da qual fazemos parte. São os adultos preconceituosos que perpetuam esse preconceito por meio da educação de nossas crianças.

3) "A educação e a formação de crianças e adolescentes deve ser processada em ambiente adequado e favorável ao seu bom desenvolvimento intelectual, psicológico, moral e espiritual."
Que tipo de lar é esse? O que ensina que o diferente é errado e deve ser combatido, reprimido e eliminado?

4) "Creio, portanto, que devemos seguir o exemplo de países
como a Ucrânia, que recentemente tornou explícita a proibição de que estamos a tratar.

Realmente, a Ucrânia é um país com exemplos a serem seguidos. Num próximo projeto o digníssimo deputado estará citando como exemplo a ser seguido o Irã!

Bem, esse é mais um candidato das eleições 2010. Cabe a nós mantê-lo ou não na política brasileira para perpetuar essa mentalidade mesquinha e retrógrada para nosso país.

2 comentários:

Pólux disse...

Fico com pena dos casais que gostariam de adotar, e mais ainda das crianças que ficam jogadas em orfanatos, mas é isso o que esses crentes FDP querem que aconteça, fazer o quê. Quem sabe um dia nosso povo aprenda a votar?

Renata J. disse...

Falta mto ainda para ensinar ao povo brasileiro que a culpa do constragimento das crianças não é da adoção por homossexuais, mas pelo julgamento que os pais héteros fazem desses casais.

Postar um comentário