Da série presidenciáveis e políticas LGBT: Marina Silva


A candidata a Presidência da República, Marina Silva, em entrevista ao Terra TV disse que quer ser transparente com seus eleitores sobre sua posição quanto ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. "Não tenho opinião favorável quanto a isso. Tenho profundo respeito pelos homossexuais e no meu partido milita o (Fernando) Gabeira, que sempre defendeu os direitos deles. Nunca desrespeitei ninguém, o estado tem que prover direitos para todos os brasileiros, independente do credo, da cor, da raça. Isso nunca me impediu de conviver com as pessoas", afirmou.

Marina disse que, para este caso, é a favor da união civil de bens, mas não do casamento, de acordo com os preceitos religiosos. "Prefiro que as pessoas falem: 'não voto na Marina, porque ela não concorda com isso', mas que ela vai respeitar meus direitos de cidadão. Porque agora é comum as pessoas dizerem ser contra o aborto e, depois, com a polêmica, falam que são a favor. Não vejo porque não posso ter direito ao meu ponto de vista, mas isso não vai cercear o direito do cidadão".

Parece-me que o grande problema da questão está somente em uma palavra: CASAMENTO.

Quando falamos essa palavra, o que vem à cabeça da maioria das pessoas é o casamento religioso, o matrimônio, sacramento que, estabelecendo e santificando a união entre um homem e uma mulher, funda uma nova família cristã. Matrimônio é o casamento entre homem e mulher, celebrado na Igreja e santificado na indissolubilidade e na fidelidade.

A luta dos movimentos LGBT não é por esse tipo de casamento, visto que está repleto de dogmas religiosos e sim do casamento civil, ou seja, reconhecimento da união entre pessoas do mesmo sexo no que diz respeito a seus direitos civis como casal.

Apesar da manchete do canal Terra deixar a impressão de que a candidata é contra os homossexuais não é bem isso que Marina Silva deixa explícito em sua fala, pois demonstra ser somente contra o casamento religioso e não contra a união civil.

Trata-se de uma candidata intrigante para mim. Apesar de não ser minha primeira opção de voto, tem demonstrado muito mais coerência em seus discursos e suas ações do que os demais.

Mas ainda vou pensar um pouco mais sobre o assunto, afinal, ainda estamos começando a corrida eleitoral e muita coisa ainda há de acontecer.

Para ler mais sobre a entrevista da candidata, acesse o site do Terra.



Nenhum comentário:

Postar um comentário