Baile de formatura cancelado


Fonte: O Globo

Após ter seu baile de formatura do Ensino Médio - o tradicional prom americano - cancelado por querer ir acompanhada da namorada, Constance McMillen, uma adolescente americana de 18 anos, decidiu apelar a uma corte federal dos Estados Unidos. Ela quer obrigar a escola a promover o baile, obter a garantia de que sua namorada será sua acompanhante e conseguir o direito de vestir um smoking, o traje masculino para a festa. A escola disse que o baile não será realizado devido a "distrações no processo educacional causadas por eventos recentes".

A polêmica começou quando a escola enviou, em fevereiro, uma circular aos alunos deixando claro que acompanhantes para o baile deveriam ser do sexo oposto. O desejo de ir à festa usando smoking foi em seguida também vetado pelo superintendente da instituição. A decisão de cancelar o baile veio na quarta-feira, após a União de Liberdade Civil Americana do Mississipi exigir que autoridades locais mudassem a lei que proíbe acompanhantes do mesmo sexo em festas de formatura de Ensino Médio. Além da frustração de não poder curtir sua festa de formatura como queria, Constance ainda teve que enfrentar a indignação dos colegas.

- Me disseram 'obrigada por arruinar meu terceiro ano' - contou Constance, ao falar sobre seu retorno à escola, Itawamba Agricultural High School, em Fulton.

A menina disse que não esperava que a escola tivesse tal reação e não queria mais voltar ao local.

- Meu pai disse que eu tinha que mostrar que eu ainda tenho orgulho de quem eu sou - disse Constance. - O fato de que isso vai ajudar outras pessoas mais pra frente é o que está me ajudando a ir adiante - contou a adolescente, que já tem uma página no Facebook com mais de 1700 fãs que apóiam sua luta.

Na quinta-feira, a União de Liberdade Civil moveu uma ação a favor da adolescente. A organização de direitos civis disse que o distrito violou o direito de liberdade de expressão de McMullen ao não permitir que ela compareça à festa de smoking.
Dono de hotel oferece festa de graça aos alunos da escola

A história gerou comoção pelo país, e o dono de um hotel em Nova Orleans se propôs a ajudar. Sean Cummings ficou decepcionado com a decisão do conselho escolar que decidiu oferecer levar os estudantes de ônibus até a cidade e oferecer um baile de graça em uma de suas propriedades.

- Concluir a experiência de Ensino Médio deve ser algo feliz. Não se deve terminar essa experiência de uma maneira negativa.

A jurisdição escolar que cancelou a festa disse esperar que os alunos conseguissem fazer uma festa de formatura particular.

Acompanhantes de baile de formatura do mesmo sexo e meninas usando roupas tradicionais de meninos e vice-versa são novas questões que vem sendo enfrentadas por diversas escolas de ensino médio dos Estados Unidos, segundo o porta-voz de uma organização que lida com educação e direitos de gays e lésbicas no país.

Em 2002, um aluno gay processou a escola em que estudava em Toronto para que a instituição lhe permitisse participar do baile de formatura acompanhado do seu namorado. O juíz decidiu a favor do menino e impediu que a escola cancelasse a festa.

O senador democrata pelo Colorado, Jared Polis, disse ter dado entrada no Congresso um projeto que tornaria ilegal qualquer ato discriminação contra alunos gays ou alunas lésbicas. Segundo ele, pelo menos dez estados possuem leis desse tipo.

O condado de Itawamba é uma área rural com cerca de 23 mil habitantes no norte do Mississipi, próximo à divisa com Alabama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário