Un, dos, tres... Outing de Ricky Martin



Fonte: Uol

Nessa segunda-feira, o cantor Ricky Martin assumiu em carta aberta ao público que é gay.

O superastro porto-riquenho escreveu em seu site oficial que nos últimos meses se dedicou a tarefa de escrever suas memórias e ele imediatamente percebeu que a confissão iria ajudá-lo a se livrar de coisas que carrega faz muito tempo.

"Hoje eu aceito a minha homossexualidade como um presente que me dá vida. Sinto-me abençoado por ser quem eu sou!", escreve Ricky Martin no final da carta, assinando RM. Seu agente, em Nova York confirmou a autenticidade da carta para a AP.

Na época do Menudos ele era meu menudo favorito... Agora é mais ainda!! Parabéns, Ricky, pela coragem! Alguém mais se habilita?

Inimigos públicos dos gays no Brasil 2010


Eleições chegando... Sempre bom fazermos um "remember" para pensarmos em que votar.A Cena G do Terra fez um levantamento dos inimigos públicos do público LGBT - na sua maioria, políticos.
Um deles será candidato novamente a Senador e pela última pesquisa já está com 50% das intenções de voto (Magno Malta). Se depender do meu voto, ele vai ficar só com a pregação e o grupo de pagode gospel dele!


Fonte: Cena G

Da mesma forma que as ONGs e veículos de comunicação do exterior, apresentamos uma lista com as 10 pessoas que são publicamente contra os homossexuais e que de alguma forma expressaram homofobia.

A lista está repleta de políticos, principalmente parlamentares ligados a igrejas evangélicas.

Quem encabeça a lista é o senador Magno Malta (PR-ES), que afirmou que o movimento gay quer criar um império homossexual e que ser gay é pecado. Magno Malta faz vista grossa no Senado para os projetos que apóiam os gays. O senador é o responsável maior pelo trancamento de pautas importantes para os Direitos Civis dos homossexuais. Há 15 anos está no Congresso o projeto de lei que prevê a união estável de pessoas do mesmo sexo e há 4 anos tramita uma lei que criminaliza a homofobia e equipara o preconceito contra lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros ao preconceito racial.

Confira a lista e a razão de cada inclusão:

1º - Magno Malta – Senador capixaba, opositor ferrenho do projeto de lei que equipara a homofobia ao racismo.

2º – Silas Malafaia - Pastor da Assembléia de Deus, que mantém um blog em que ofende e chama homossexuais de abominações.

3º – Walter Brito Neto – Deputado Federal pelo PRB-PB que propôs um projeto de lei para impedir casais homossexuais que adotem crianças

4º – Bispo Rodovalho – Deputado pelo DEM/DF, promoveu uma manifestação contra a provação do PL 122 que prevê a criminalização da homofobia

5º – Júlio Severo – auto-intitulado ativista cristão. Em seu blog, promoveu calúnia contra ativistas gays e a intolerância, saiu do país em março de 2010, segundo seu blog para não responder a uma denúncia do MP

6º – Rosângela Justino – psicóloga que prega a terapia de conversão. Proibida de falar sobre seus métodos desde 2009, após sofrer Cesura pelo Conselho Federal de Psicologia, pode ainda perder seu registro profissional

7º – Marcelo Crivella -
Senador pelo PRB-RJ. Afirmou que a homossexualidade “é antinatural” e faz campanha contra leis que garantem direitos aos gays

8º- Roberto Requião –
Governador do Paraná. Além de ofender os gays publicamente com brincadeiras de mau gosto, seu governo levou o estado a ser campeão de crimes contra homossexuais e não há nenhuma lei que combata o crime de ódio contra homossexuais no estado.

9º- Marcelo Dourado – do BBB10, disse que a lésbica Angélica deveria apanhar por ser abusada e por diversas vezes pregou a violência

10º- Juiz Manoel Maximiano Junqueira Filho, da 9ª Vara Criminal de SP.
Julgou em 2007 o caso Richarlyson e afirmou em sentença de arquivamento que futebol não era jogo para homossexuais e que gays deveriam fundar uma federação – o magistrado está Censurado desde 2008 pelo Tribunal de Justiça paulista.

FEMENINA 2010

Fonte: Coletivo Femenina

Festival Femenina: dois dias de muito movimento em Vitória-ES. Além de shows, grafitti, skate, exposição, circo, teatro e dança vai ter oficinas.

Saiba como participar e não perder essa, veja a programação abaixo!

Anyone but Me episódio 6


O novo episódio da webserie Anyone but Me foi ao ar hoje e Pandora69836, super eficiente, já postou o arquivo com legendas em português no You Tube.

Para quem ainda não conhece a série, sugiro que entrem no perfil de Pandora e assistam os episódios anteriores (1ª e 2ª temporadas). Certamente se apaixonarão e farão como eu: esperar ansiosamente o episódio 07!

ONG publica guia de sexo oral entre mulheres


Quer o seu? Eu já baixei o meu!

OBS: Tem que fazer cadastro no site de download.


Fonte: Dykerama

A organização colombiana Mujeres al Borde acaba de lançar seu primeiro guia de sexo oral entre mulheres.

O material, organizado a partir da experiência de 1000 mulheres de diversas orientações sexuais e identidades de gênero, traz em linguagem simples e direta informações descomplicadas sobre penetração, masturbação, jogos sexuais, práticas sexuais de risco, entre outros assuntos.

O guia foi desenvolvido a partir de oficinas de sexo oral realizadas pela ONG durante nove anos de trabalho em Bogotá.

SP publica decretos em favor da comunidade LGBT




Será que um dia decretos assim valerão em todo o Brasil? Espero que sim! E que outros mais sejam publicados!

Fonte: Dykerama

O Governo do Estado de São Paulo publicou nesta quinta-feira (18), três decretos em favor da comunidade LGBT que passam a valer a partir de hoje.

O primeiro deles, nº. 55.587/10, institui o Conselho Estadual dos Direitos da População de Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Segundo o decreto, caberá aos membros do Conselho, entre outras atividades, participar da elaboração de políticas públicas que visem assegurar a efetiva promoção dos direitos da população LGBT, efetuar e receber denúncias que envolvam fatos e episódios discriminatórios, encaminhando-as aos órgãos competentes, além de propor e incentivar a realização de campanhas destinadas a promoção da diversidade sexual, dos direitos da população LGBT e o enfrentamento à discriminação homofóbica.

No decreto nº. 55.588/10, uma das principais demandas o movimento LGBT foi atendida. Agora, transexuais e travestis têm garantido o direito à escolha de tratamento nominal nos órgãos públicos do Estado de São Paulo. No momento do preenchimento de cadastros ou ao se apresentar para o atendimento, a pessoa interessada poderá indicar o prenome social que corresponde à forma pela qual se reconhece. Os servidores públicos deverão tratar a pessoa pelo prenome indicado, que constará dos atos inscritos. O descumprimento deste decreto ensejará processo administrativo para apurar a violação da Lei 10.948/01.

Já o terceiro, nº. 55.589/10, regulamenta a Lei Estadual nº. 10.948/01, que trata das penalidades a serem aplicadas à prática de discriminação em razão de orientação sexual e identidade de gênero. Nele fica decretado que a apuração dos atos discriminatórios e a aplicação das penalidades previstas na Lei 10.948/01 serão realizadas por uma comissão especial, composta por cinco membros designados pelo secretário da Justiça e da Defesa da Cidadania. Na hipótese de configuração de infração penal, a comissão especial, no prazo de 48 horas, contados de sua ciência, deverá comunicar o fato ao Ministério Público.

O decreto autoriza, ainda, a Secretaria da Justiça a firmar convênios e termos de cooperação com entidades públicas e privadas e a praticar todos os atos necessários ao bom funcionamento do sistema de recebimento e julgamento das denúncias dos atos discriminatórios.

Efeito Serginho



Meio difícil entender qual a jogada do tal Serginho. Carência ou oportunismo? Afinal, o cara é gay, bi ou é só encenação desde o início.
Esse affair deve estar sendo prato cheio para os que acreditam na conversão dos homossexuais... Bem, leiam abaixo e assistam o vídeos: afinal, Serginho é ou não é?


Fonte: A Gazeta

Nenhuma mulher duvida que amigo gay é excelente companhia para ir a boates animadas, fazer compras, jantar em restaurante japonês, olhar vitrines e até frequentar o cabeleireiro. E, se além de amigo ideal, ele também se tornasse um namorado em potencial?

O climinha de romance, com direito a selinhos, entre Fernanda e Serginho do “Big Brother Brasil 10”, da TV Globo, levantou a polêmica: ele é ou não gay? O estudante chegou a se declarar para a moça, dizendo que, se a loirinha namorasse com ele, virava hétero.

Afinal, não existe mais sexualidade definida? Para a sexóloga Denise Galvêas, é possível que algumas pessoas sintam dúvidas a respeito da preferência sexual.
“Há pessoas que têm bem resolvida sua opção sexual e se encaixam no grupo dos héteros ou homossexuais, mas há aquelas que conseguem sentir desejo pelos dois sexos. Há homossexuais que tem uma abertura para o sexo oposto e escolhem se casar e ter filhos. Alguns estudiosos afirmam que todas as pessoas são bissexuais e que um lado é reprimido, mas isso divide opiniões”, explica a sexóloga.

Galvêas também destaca que aumentou o número de adolescentes que “experimentam” a relação com pessoas do mesmo sexo. “Antigamente havia mais repressão e as pessoas nem tinham espaço para terem dúvidas. Hoje não é assim. Elas ficam confusas e às vezes nem têm uma relação completa, mas beijam na boca”, afirma.

Para o integrante do Grupo Plur@l de Diversidade Sexual Luiz Cláudio Kleaim, a sociedade sempre exige que as pessoas sejam coerentes e façam uma escolha, mas o desejo é complexo e dinâmico.

Opiniões

Waldir Assis Nascimento , 32 anos, vendedor de picolé
"Acho que é possível alguém se interessar por pessoas dos dois sexos. É da natureza
do homem gostar de mulher, mesmo achando que não quer”

Andressa Lilian Pereira , 29 anos, operadora industrial
"Se a pessoa decide por uma opção sexual, não acho que seja tão fácil mudar de comportamento. No caso do Serginho, acho que ele é gay, apesar de conviver com mulheres bonitas”

Baile de formatura cancelado


Fonte: O Globo

Após ter seu baile de formatura do Ensino Médio - o tradicional prom americano - cancelado por querer ir acompanhada da namorada, Constance McMillen, uma adolescente americana de 18 anos, decidiu apelar a uma corte federal dos Estados Unidos. Ela quer obrigar a escola a promover o baile, obter a garantia de que sua namorada será sua acompanhante e conseguir o direito de vestir um smoking, o traje masculino para a festa. A escola disse que o baile não será realizado devido a "distrações no processo educacional causadas por eventos recentes".

A polêmica começou quando a escola enviou, em fevereiro, uma circular aos alunos deixando claro que acompanhantes para o baile deveriam ser do sexo oposto. O desejo de ir à festa usando smoking foi em seguida também vetado pelo superintendente da instituição. A decisão de cancelar o baile veio na quarta-feira, após a União de Liberdade Civil Americana do Mississipi exigir que autoridades locais mudassem a lei que proíbe acompanhantes do mesmo sexo em festas de formatura de Ensino Médio. Além da frustração de não poder curtir sua festa de formatura como queria, Constance ainda teve que enfrentar a indignação dos colegas.

- Me disseram 'obrigada por arruinar meu terceiro ano' - contou Constance, ao falar sobre seu retorno à escola, Itawamba Agricultural High School, em Fulton.

A menina disse que não esperava que a escola tivesse tal reação e não queria mais voltar ao local.

- Meu pai disse que eu tinha que mostrar que eu ainda tenho orgulho de quem eu sou - disse Constance. - O fato de que isso vai ajudar outras pessoas mais pra frente é o que está me ajudando a ir adiante - contou a adolescente, que já tem uma página no Facebook com mais de 1700 fãs que apóiam sua luta.

Na quinta-feira, a União de Liberdade Civil moveu uma ação a favor da adolescente. A organização de direitos civis disse que o distrito violou o direito de liberdade de expressão de McMullen ao não permitir que ela compareça à festa de smoking.
Dono de hotel oferece festa de graça aos alunos da escola

A história gerou comoção pelo país, e o dono de um hotel em Nova Orleans se propôs a ajudar. Sean Cummings ficou decepcionado com a decisão do conselho escolar que decidiu oferecer levar os estudantes de ônibus até a cidade e oferecer um baile de graça em uma de suas propriedades.

- Concluir a experiência de Ensino Médio deve ser algo feliz. Não se deve terminar essa experiência de uma maneira negativa.

A jurisdição escolar que cancelou a festa disse esperar que os alunos conseguissem fazer uma festa de formatura particular.

Acompanhantes de baile de formatura do mesmo sexo e meninas usando roupas tradicionais de meninos e vice-versa são novas questões que vem sendo enfrentadas por diversas escolas de ensino médio dos Estados Unidos, segundo o porta-voz de uma organização que lida com educação e direitos de gays e lésbicas no país.

Em 2002, um aluno gay processou a escola em que estudava em Toronto para que a instituição lhe permitisse participar do baile de formatura acompanhado do seu namorado. O juíz decidiu a favor do menino e impediu que a escola cancelasse a festa.

O senador democrata pelo Colorado, Jared Polis, disse ter dado entrada no Congresso um projeto que tornaria ilegal qualquer ato discriminação contra alunos gays ou alunas lésbicas. Segundo ele, pelo menos dez estados possuem leis desse tipo.

O condado de Itawamba é uma área rural com cerca de 23 mil habitantes no norte do Mississipi, próximo à divisa com Alabama.

Lady Gaga e Beyonce



Lady Gaga fazendo dupla com Beyonce em vídeo clip de quase 10 minutos com direito a beijo lésbico e coreografias excêntricas. Confiram!

Marcha Nacional contra a Homofobia acontece no dia 19 de maio



Fonte: Terra Notícias

A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais convocou para o dia 19 de maio a primeira Marcha Nacional contra a Homofobia.

A manifestação será realizada em Brasília, com concentração às 9 da manhã, na Esplanada dos Ministérios.

Segundo os organizadores, a idéia é reunir 1.200 pessoas com delegações do Brasil inteiro.

Entre os objetivos da Marcha Nacional está a garantia do estado laico, combate ao fundamentalismo religioso, cumprimento do Plano Nacional LGBT, aprovação das uniões civis entre pessoas do mesmo sexo e o uso do nome social para travestis e transexuais.

Os organizadores vão buscar apoio de políticos de todos os níveis para defender o direito dos gays.

No dia 18 de maio, um dia antes da realização da marcha, será feito um seminário no Congresso Nacional com a participação de vários parlamentares.

Ativistas ensaiam campanha "ficha limpa" para tirar união gay do papel



Fonte: Último Segundo

Enquanto a união estável entre homossexuais é aprovada em Estados americanos e em alguns países da Europa, o principal projeto sobre o tema no País ainda está parado em uma comissão na Câmara dos Deputados.

Para acelerar o trâmite, lideranças do movimento ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais) pretendem fazer um movimento “ficha limpa” na eleição deste ano, conclamando que sejam eleitos apenas legisladores comprometidos com o debate da união homoafetiva.

O primeiro grande projeto de lei sobre o tema foi proposto pela então deputada federal Marta Suplicy, em 1995, mas as próprias entidades civis que lutam pela união estável entre pessoas do mesmo sexo entenderam que, travado no Congresso, o texto havia ficado obsoleto.

Em março de 2009, o conteúdo foi substituído e surgiu o Projeto de Lei 4914/2009, de autoria do deputado federal José Genoino (PT-SP), e co-assinado por representantes de mais 11 partidos diferentes (PCdoB, PSB, PP, PSOL, PV, PTB, DEM, PPS, PMDB, PDT e PSDB).

O texto encontra-se, desde abril do ano passado, na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara, uma das etapas antes de ser levado a plenário. Para o autor do projeto, o trâmite mais correto seria a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, por não se tratar de assunto diretamente relacionado à família, mas sim dos direitos civis.

A emenda propõe alteração do Código Civil, aplicando à união estável de pessoas do mesmo sexo os dispositivos da lei referentes a união estável entre homem e mulher, com exceção do artigo que trata sobre a conversão em casamento.

“Além deste projeto no Congresso temos uma arguição de Descumprimento do Preceito Fundamental, proposta pelo governador Sérgio Cabral, e uma Adin (Ação Direta de Inconstitucionalida de) no Supremo. Se elas forem julgadas procedentes, podemos ter nossos direitos assegurados. Hoje, temos 87 direitos negados”, afirma Toni Reis, presidente da ABGLT.

Atualmente, a Constituição brasileira exige a diversidade do sexo para configurar união estável. O Código Civil reconhece como entidade familiar a união estável entre homem e mulher, configurada na convivência pública, contínua, duradoura e estabelecida com o objetivo de constituição da família.

Fora desses universos, os casais formados por pessoas do mesmo sexo caem num limbo jurídico onde são impedidas de, por exemplo, aprovar cirurgia do companheiro ou da companheira, somar renda para aprovar financiamento conjunto, inscrever o parceiro ou a parceira como dependente de servidor público, não tem direito a licença-luto, é impedido de fazer declaração conjunta de Imposto de Renda, entre outros direitos.

A ação no STF, que pede o reconhecimento da união entre pessoas do mesmo sexo, foi relatada pela ministra Ellen Gracie, mas ainda não entrou na pauta de votação.

Há no País jurisprudência para reconhecimento legal da união estável de casais homossexuais. Isso significa avanços em relação a inclusão no plano de saúde e pensão em caso de morte. Mas não significa os mesmos direitos em relação a casais heterossexuais. Herança, por exemplo, não é dividida. Eventuais problemas de casais do mesmo sexo devem ser resolvidos na Vara Civil e não na Vara Familiar. As ações que correm no Supremo visam igualar, aos olhos da lei, a união de pessoas de mesmo sexo à entre parceiros heterossexuais.

Na Câmara, também caminhavam projetos específicos, como o 5252/01, que permitia a adoção de crianças por casais homossexuais, mas foi arquivada.

A esperança dos ativistas é a aprovação desta nova proposta, considerada mais abrangente e abraçada por uma frente parlamentar. “Os demais projetos não reconhecem de fato a formação de uma família, uma sociedade de fatos, inclusive para finalidades fiscais”, diz o antropólogo Luiz Mott, fundador do Grupo Gay da Bahia.

E por que os outros países conseguem avançar na garantia desses direitos aos homossexuais e o Brasil não? “Por causa de uma minoria ferrenha de fundamentalistas religiosos alojados no Congresso”, afirma Toni Reis, presidente da ABLGT.

Segundo ele, o movimento fará uma campanha para que os candidatos a deputado federal e senador “saiam do armário” na eleição deste ano e se posicionem sobre o tema. “Quem ficar em cima do muro, não receberá nosso voto.”

Como exemplo, citam o caso do senador Magno Malta (PR-ES), pertencente à chamada “bancada evangélica” do Congresso e notório opositor da união homoafetiva. “Não sou homofóbico nem tenho nada contra os homossexuais, a quem respeito muito, mas não podemos permitir aprovação de projetos inconstitucionais. O que o Brasil precisa é de uma grande campanha de educação e respeito nessa e em outras questões”, afirma.

A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) já se posicionou publicamente de maneira contrária a “se equiparar famílias a outras uniões que, não obstante, não existam de fato”.

“Vamos ter resistências, mas vamos lutar. Como nós estamos tratando dos direitos de cidadania, eu confio que a gente vai tirar esse assunto da visão preconceituosa e religiosa. Tem vários parlamentares de vários partidos que estão nos apoiando. Para conseguir a maioria, vai depender do nosso argumento, das alianças e de não aceitar essa marca preconceituosa” , declara o deputado José Genoino, em sua página na internet.

LUEN - Coisas de Menina

Típico clip que nunca vai passar na MTV. rs

Preconceito nas ruas de Porto Alegre

O telejornal Teledomingo da RBS TV apresentou um interessante teste feita nas ruas de Porto Alegre.
Dois atores se passaram por um casal gay e foram descobrir se ainda existe preconceito contra o relacionamento de pessoas do mesmo sexo no Rio Grande do Sul.
Assistam a reportagem:

Cacau e Morango


Pensei em postar algumas notícias hoje e me deparei com essa foto... Afff! Deixei pra lá o resto e decidi postá-la. Vou nem comentar nada!

Propagandas


Recebi o link para essa propaganda por um dos fóruns de discussão dos quais participo.
Acredito que as empresas brasileiras estão começando a perceber o filão de consumidores que andavam perdendo...

Para quem é cliente e tem interesse em encontrar seu par ideal na mesma operadora (rs), basta ir para o TIM CAFÉ.

Morango, BBB, Faustão e homossexualidade



Ana Angélica saiu do BBB na semana passada e, no último domingo, foi entrevistada pelo Fausto Silva.
Algumas perguntas idiotas, muitos curiosos querendo saber sobre ela, Cacau e Eliézer e eis que surge uma pergunta muito boa e uma resposta excelente, como todas dadas pela Morango (verdade, virei fã dessa menina!).
Adiantem o vídeo até 1:24. Faustão pergunta: "Você acha que o BBB, assim como as novelas, acabam ajudando a aumentar o preconceito ou ao contrário...?".
Vale a pena ver a resposta.